Buraco

Cuidado que o buraco
Não é preto nem fundo
Não se cai nele pro mundo
Não é para fracos
Não se sai dele pra vida
Não é nenhum refúgio
Nem subterfúgio
Tampouco a saída

Buraco não é machucado
Nem orifício de puns
Como só é pra alguns
Não faz estrago

Cai dentro de si
E vira um nada moribundo
À espera de outro mundo
Que está logo ali

É que não se vê esse cenário
Ou o momento que se vive
Só se vale do ourives
Quando o ouro é necessário

Buraco é só um achado
Encoberto de cores
Que esconde os amores
E os previne calado

Anúncios
Buraco

4 comentários sobre “Buraco

  1. Bianca disse:

    Íntimo e sincero, Gu. Gostei muito da imagem que você construiu do buraco que é a gente. Acho que somos só buracos à procura do nosso tampão. E assim que achamos o encaixe, cavamos outro e mais outro (o tempo vai deixando os buracos mais definidos, menos desesperados, mais assumidos). E como a gente precisa dos buracos! É por eles que comemos, que amamos, que gozamos, que nos encontramos com a gente mesmo, com o outro… Somos seres faltantes, não preenchidos – ainda bem! Um beijo do meu buraco chamado boca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s